Please use this identifier to cite or link to this item: http://10.233.90.10:8080/jspui/handle/prefix/174
metadata.dc.type: Artigo de Periódico
Title: Tempo entre diagnóstico e tratamento do câncer de mama no Distrito Federal e fatores associados
Other Titles: Time between diagnosis and treatment of breast cancer in Federal District and associated factors
metadata.dc.creator: Constâncio, Tatiane Boaretto
Gottems, Leila Bernarda Donato
Araújo, Sarah Lemos
Barros, Ângela Ferreira
metadata.dc.description.resumo: Objetivo: analisar os fatores associados a maior tempo entre diagnóstico e tratamento de mulheres com câncer de mama. Método: estudo transversal com dados do Registro Hospitalar de Câncer. Resultado: Das que receberam o primeiro tratamento no hospital, 64,5% foram tratadas em até 60 dias após diagnóstico. Apresentaram maior chance de iniciarem o tratamento após 60 dias as mulheres encaminhadas originariamente por serviços públicos (p=0,001; OR: 2,16; IC: 1,37-3,41) e com estadiamento 0, I ou II (p=0,003; OR: 1,92; IC: 1,25-2,94). Conclusão: Houve fragilidades no atendimento dos serviços públicos. Possivelmente o serviço prioriza o tratamento de mulheres em estágio avançado.
Abstract: Objective: to analyze the factors associated with a longer time between diagnosis and treatment of women with breast cancer. Method: cross-sectional study with data from the Hospital Cancer Registry. Results: Among those who received the first treatment at the hospital, 64.5% were treated within 60 days after diagnosis. Women who were originally referred to public services (p = 0.001; OR: 2.16; CI: 1.37-3.41) and those with initial staging were more likely to start treatment after 60 days (p = 0.003; OR: 1.92; CI: 1.25-2.94). Conclusions: There were weaknesses in the provision of public services. Possibly the service prioritizes the treatment of women at an advanced stage.Keywords: Breast neoplasms; Hospital records; Neoplasm stagin; Time-to-treatment. INTRODUÇÃOO câncer de mama é o segundo mais frequente no mundo e o mais comum entre mulheres1. No Brasil e no Distrito Federal (DF), o câncer de mama é o mais frequente nas mulheres, excluindo os casos de câncer de pele não melanoma. Em todo o país estimou-se para 2018, 59.700 novos casos de neoplasia mamária, com uma taxa de incidência esperada de 56,3 casos e no DF de 62,1 casos a cada 100 mil mulheres2.Os dados desses pacientes são monitorados e analisados constantemente e são de fundamental importância para prevenção, aprimoramento dos próprios registros e dos serviços de saú-de. Em nível regional os hospitais dispõem dos Registros Hospitalares de Câncer (RHC) que são setores responsáveis por fontes sistemáticas de informações, de forma física e digital, para coleta de dados desses pacientes3. Em um contexto nacional o câncer de mama tem sido diagnosticado em uma fase avançada da doen-ça em cerca de 45% dos casos, demonstrando a necessidade de estratégias para melhorar a detec-ção precoce4. No Sistema Único de Saúde (SUS) as mulheres com câncer de mama apresentam menor sobrevida quando comparadas ao sistema privado, por serem diagnosticadas em estágios mais avança-dos da doença5. Isso sugere que as mulheres que utilizam o SUS apresentam mais dificuldade para realizar o diagnóstico e tratamento6. Estudos apontam que maior tempo para ter acesso à consulta médica7, exames diagnósticos8 e tratamento9 e aspectos sociodemográficos como cor da pele negra ou parda, ser solteira ou divorciada10, possuir menor renda11 e menor grau de instrução4são associados ao diagnóstico mais avançado. Porém ainda se investiga como aspectos relacionados à or-ganização dos serviços de saúde podem influenciar maior tempo para início do tratamentoPara se compreender os aspectos relacionados ao atendimento que precisam ser melhorados para se favorecer o início do tratamento em tempo oportuno, o presente estudo tem como objetivo analisar os fatores sociodemográficos, do atendimento e clínicos associados a maior tempo entre diagnóstico e tratamento de mulheres com câncer de mama. MÉTODO Realizou-se um estudo transversal e analítico, com abordagem quantitativa. A população do estudo foram os casos de câncer com localização primária na mama em mulheres registradas no RHC em um Centro de Assistência em Alta Complexidade em Oncologia (CACON) do Distrito Federal.Foram coletados dados de 2747 casos de câncer de mama em mulheres. A coleta ocorreu entre mar-ço e julho de 2016, após aprovação do Comitê.
Keywords: Neoplasia de mama
Registros hospitalares
Estadiamento de neoplasias
Tempo para o tratamento
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ENFERMAGEM::ENFERMAGEM DE SAUDE PUBLICA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde
metadata.dc.publisher.initials: FEPECS
Citation: CONSTÂNCIO, T. B. et al. Tempo entre diagnóstico e tratamento do câncer de mama no Distrito Federal e fatores associados. Comunicação em Ciências da Saúde, Brasília, v. 31, n. 01, p. 179-187, 2020. Disponível em: http://www.escs.edu.br/revistaccs/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/623. Acesso em: 9 fev. 2021.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://10.233.90.10:8080/jspui/handle/prefix/174
Issue Date: 12-Sep-2020
Appears in Collections:Artigos publicados em periódicos - MP

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
623-Outros-4387-1-10-20200912.pdfARTIGO_tempoentreodiagnosticoeotratamentodocancerdemama143,34 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.